Coisas que Alex Cameron diz

Alex Cameron

Alex Cameron lançou, em 2017, um dos melhores álbuns pop do ano. Forced Witness é viciante como tudo. Dou por mim a cantar bocados de canções na cozinha, no trabalho e na rua como se precisasse mesmo de o fazer. E se a culpa é sobretudo das melodias orelhudas, as letras levemente perturbadoras escritas e cantadas pelo australiano ajudam claramente a fechar o negócio.

É nas letras que quero focar-me. Nos meus momentos favoritos, para ser mais específico. Vamos a isso?

1. Ele não se quer gabar, mas… (“Candy May”)

She has seen me naked, she knows I’m packing heat

Pouco mais de um minuto após o início do álbum, somos (vagamente) informados acerca do tamanho da pila dele. Aquela Candy May é uma sortuda.

2. Ela gosta dele à maneira dela (“Candy May”)

And she is crying out “You f’n lonely man”
“You worthless piece of shit”
You all wouldn’t understand

Ele está numa relação abusiva, mas nós não perceberíamos. Um caso gritante de síndrome de Estocolmo, parece-me. Já não gosto da Candy May.

3. Experiências de vida (“Country Figs”)

The worst part about being homeless
Is waking up from a dirty wet dream
With a lap full of cum and a head full of steam

Tenho as minhas dúvidas.

4. Azar ao jogo… (“Runnin’ Outta Luck”)

I’m a man on a mission, you’re a stripper out of luck
And we’re good in the back seat but we’re better up front

Alex Cameron encontrou a maneira mais “Vegas” de dizer “azar no jogo, sorte no amor”.

5. Sorte ao amor (“Stranger’s Kiss”)

I got shat on by an eagle, baby
Now I’m king of the neighborhood
And it feels like I could
Just peel the gym pants off a single mother

Eu sei que é um cocó metafórico, mas não deixa de ser uma excelente imagem. E ainda por cima resulta tão bem para ele, que fica a sentir-se capaz de, vá, seduzir uma mãe solteira.

6. Ele não pensa em mais nada, pois não? (“True Lies”)

Well, what’s the difference, darling
Between my eyelids and a glowing white screen
When either way I’m thinking
Of the hottest, barely legal age teens?

Realmente, qual é a diferença, querida?

7. Pormenores (“True Lies”)

Yeah there’s this woman on the Internet
Even if she’s some Nigerian guy

Um twist! A mulher com os bonitos olhos na Internet pode bem ser um tipo nigeriano… e ele não se importa, aparentemente.

8. Um sistema de organização como outro qualquer (“Studmuffin96”)

But I keep my money in the bank, pussy in the bed, liquor out of reach, put a bullet in my head

Não sei se hei de me focar no facto de ele ter de deixar o álcool longe da rapariga ou na parte de dar um tiro na cabeça. Até que…

9. “Quase” não chega, amigo (“Studmuffin96”)

I’m waiting for my lover
She’s almost 17

Não.

10. Estou certo de que ela tem nome (“The Chihuahua”)

‘Cause the pussy leaves town
When the boss ain’t around for the feeding

Começo a achar que há uma certa objetificação da mulher aqui, chefe.

11. Um consumidor exigente (“The Chihuahua”)

And I get my satisfaction baby
Got it streaming in 1080p

Nunca tinha ouvido “1080p” numa música. Fica bem, mesmo que ele se refira aos seus hábitos de consumo de pornografia.

12. Cão de caça (“The Chihuahua”)

Chasing pussy online
‘Cause the dog’s feeling fine and he needs it

Aparentemente, os chihuahuas também podem ser cães de caça.

13. Medo (“The Hacienda”)

A baby cries at The Hacienda
You know they only stop when they want to, no surrender

Quem é que leva um bebé para um sítio destes?

14. Se calhar é só uma clínica de análises (“The Hacienda”)

Countdown to diabetes at the Hacienda

Não sei o que isto significa, honestamente. Mas coisa boa não é de certeza.

15. Não, definitivamente não é uma clínica de análises (“The Hacienda”)

“No moleste” on the door at The Hacienda
And then he went till she was raw, baby, no surrender

Começo a sentir-me desconfortável com esta música.

16. Bom eufemismo (“The Hacienda”)

Maybe one day you could send me some nudes
I could agitate myself to the memory of rolling with you

Vou começar a usar o verbo “agitar-me”.

17. Mau espanhol, mas… (“The Hacienda”)

No mirame, cuando lloro

Algo que me diz que esta conversa toda é só fachada.

18. Temos Rambo… (“Marlon Brando”)

And I want to let him know what a pussy he is
And I want to let her know that I bench what he is
But I won’t

Que forte!

19. … da net (“Marlon Brando”)

You tell that little faggot call me faggot one more time

Uma versão interessante de “agarrem-me, que eu vou-me a ele”.

20. Mas, mas, mas… (“Marlon Brando”)

So tell me something baby, tell me I ain’t fine
I feel like Marlon Brando circa 1999

Arranjou uma forma bastante criativa de dizer que não está lá muito bem. Mas Marlon Brando é Marlon Brando, pronto.

21. A verdade, finalmente! (“Marlon Brando”)

I want you to say that my hair looks nice and my face has a Beckham-like quality

Quem não quer?

22. Uma mensagem de esperança (“Politics of Love”)

You could ride in on an Eagle baby
You could ride in on a rug
Makes no difference when you come ‘round here
There ain’t no politics in love

Não sei se Alex Cameron é o embaixador liberal que queremos, mas é o que temos.