Ouve-se

Música, indústria e tendências

Ouve-se (2008-2015)

O Ouve-se acabou. A partir de hoje, podem (e devem!) visitar o STROBE para ler coisas parecidas com as que escrevemos aqui ao longo de mais de sete anos.

Como devem imaginar, escrevo estas palavras cheio de sentimentos contraditórios.

Por um lado, sei que foi uma boa decisão: pegar num projeto com o qual temos grande afinidade e uma excelente relação como o STROBE, injetar-lhe mais opinião e dinamismo e tentar torná-lo ainda maior e melhor é algo que nos entusiasma a todos.

Por outro lado, especialmente para mim, há uma sensação de fim de ciclo e de bons velhos tempos que ficam para trás. Independentemente da qualidade e dimensão do projeto, o Ouve-se foi desde 2008 uma constante na minha vida. Tinha 22 anos quando comecei a publicar artigos por aqui. Estou quase a fazer 30. Ainda é qualquer coisa. Foi o meu projeto ao longo deste tempo – o mais querido e aquele a que mais vontade tive de regressar, mesmo em períodos de longa ausência.

Há muita coisa que gostava de ter feito de forma diferente por aqui mas agora já está.

Não posso terminar sem agradecer ao Gonçalo Sítima, ao Gonçalo Trindade e especialmente ao João Oliveira, que emprestaram o seu tempo ao projeto e o tornaram um bocadinho melhor.

Quero ainda agradecer a todos vós, que justificaram cada minuto do tempo que investimos aqui. Apesar de não pensarmos especialmente em cliques e visitas, nunca quisemos escrever para o boneco, para ninguém ler. Vocês ajudaram-nos com isso. Posso dizer honestamente que essa foi a melhor parte.

Mas acreditamos genuinamente que o melhor está para vir. Gostávamos que viessem connosco.

O Ouve-se acabou. Este foi o último artigo publicado por aqui. Mas a ideia que lhe deu forma mantém-se viva (bem como alguns artigos, claro), agora no STROBE.

Muito obrigado a todos.

Ones And Sixes e o auge dos Low

Vozes interessantes. Compositores e letristas talentosos. Um bom álbum depende desses factores e de um sentido de coesão, porque não basta juntar músicas, há que harmonizá-las. Mas mais do que isso, há um elemento intangível: a inspiração. E é isso que na verdade faz a diferença e explica como no intervalo de dois anos os Low criaram um dos seus piores álbuns, The Invisible Way, e agora nos deixam estarrecidos com Ones And Sixes, o melhor conjunto de originais que nos apresentaram até à data.

Continuar a ler

Um fanboy a celebrar os 20 anos dos Mogwai

Acho que os Mogwai são a minha banda favorita. O “acho” é porque é ali entre eles e os Pink Floyd – se calhar os Pink Floyd ganhavam. Mas tenho um carinho muito, muito especial pelos Mogwai (e olhem que se eu uso a palavra “carinho”, então a coisa é séria).

Continuar a ler

As 10 melhores músicas dos Low

Embora se preparem para lançar o seu 11º álbum de originais, os Low são uma banda discreta. Muitos terão certamente passado todos estes anos sem ouvir falar neles, sem saber que no interior dos EUA, em Duluth, um casal anda há mais de duas décadas a gravar algumas das melhores músicas que irão ouvir.

Continuar a ler

Assim é fácil ser feliz em Paredes de Coura

Quando falo de festivais, tenho de falar de expectativas. E deixem-me ir direto ao assunto: há já uns anos valentes que um festival não superava assim as minhas expectativas. Tive de regressar a Paredes de Coura para isso acontecer… mas assim que lá cheguei tornou-se tão fácil que parece impossível.

Continuar a ler

11 concertos a não perder em Paredes de Coura

Amanhã começa o Vodafone Paredes de Coura e eu hei de andar por lá entre quinta e sábado, que isto de começar festivais a uma quarta-feira é muito bonito quando se anda na escola ou se tem férias para gozar mas não quando temos simplesmente de trabalhar.

Continuar a ler

As loucuras veraneantes de Lana Del Rey

“Video Games”. Foi o quanto bastou para que Lana Del Rey se convertesse num ícone indie instantâneo. Mas esse estado de graça durou o tempo de Born to Die começar a circular e perceber-se que a rapariga cool vintage melancólica tinha um piquinho a azedo, um lado betinha fútil lasciva, com piscadelas de olho descaradas ao universo hip hop.

Continuar a ler

Eis um dos melhores álbuns do ano

Não é suposto o segundo álbum ser o mais difícil de todos?

Continuar a ler

As 20 melhores músicas dos Wilco

Os Wilco podem ter acabado de editar um álbum uns furos abaixo daquilo a que nos habituaram mas seriam precisos muitos mais álbuns (e muitos mais furos abaixo) para apagar os maravilhosos 20 anos de música que a banda de Chicago nos deu.

Continuar a ler

Star Wars, o álbum-surpresa dos Wilco

Os Wilco decidiram fazer-nos uma surpresa e lançaram um álbum sem aviso prévio. Em troca de um endereço de correio eletrónico, os Wilco deram-me Star Wars, uma bonita pintura de um gatinho e 11 novas músicas. De borla, amigos. E diz que é por tempo limitado.

Continuar a ler

« Posts mais antigos