Ouve-se

Música, indústria e tendências

O álbum mais caro da minha coleção

Há uns anos, escrevi sobre como os artistas e as editoras devem investir no álbum para o manter como um formato apetecível para os que ainda compram música em formato físico. No fundo, a ideia é: tendo em conta que há cada vez menos pessoas a comprar discos, tentem agarrar os poucos que ainda não desistiram de o fazer.

Continuar a ler

10 músicas dos Depeche Mode que mereciam ser singles

Os singles perderam muita importância nos últimos tempos, mas nos anos 80 e 90 eram determinantes para o desempenho de um álbum. Decidir os singles era decidir que videoclips seriam feitos, logo o que passaria na MTV. Era decidir também que músicas tocariam nas rádios. Determinava-se portanto que faixas seriam tidas em conta pelo público na decisão de comprar o álbum.

Continuar a ler

Estará o Record Store Day a perder gás?

A romaria do Record Store Day está marcada para 18 de abril e é quase certo que visitarei três ou quatro capelinhas de Lisboa nesse dia, como tem sido tradição. Mas não consigo deixar de pensar que o Record Store Day se tem vindo a tornar cada vez menos relevante com os anos. Porque será?

Continuar a ler

It’s Decided, a segunda vida de Andy Kim

A vida dá muitas voltas. Isto parece ser especialmente verdade para Andy Kim, o veterano cantor e compositor pop canadiano conhecido por “Sugar Sugar” dos Archies, “Rock Me Gently” e pouco mais (pelo menos, por cá). Com uma carreira de mais de 50 anos, teve bastante sucesso no Canadá mas nunca deu o salto para o estrelato internacional.

Continuar a ler

Cavaco Silva vetou a lei da cópia privada – e agora?

O Presidente da República vetou a lei da cópia privada, devolvendo o diploma à Assembleia da República para que os deputados possam reponderar os diversos interesses em causa e trabalhar em legislação mais adequada à evolução tecnológica e à proteção dos direitos dos autores e dos consumidores.

Continuar a ler

Tidal para quem?

A indústria da música tem sido fértil, ao longo dos anos, em pôr montanhas a parir ratos. Tidal, o serviço de streaming de música de alta fidelidade comprado por Jay-Z em janeiro e relançado agora com pompa e circunstância, é apenas o episódio mais recente desta estranha maternidade.

Continuar a ler

Hold me closer, tiny dancer

Tenho uma grande dívida por pagar a Cameron Crowe, escritor e realizador de Quase Famosos.

Continuar a ler

A propósito dos 20 anos de The Bends

Cheguei tão tarde aos Radiohead que é embaraçoso. Estávamos no final de 2003, Hail To The Thief já andava na rua há algum tempo e o resto dos álbuns nem se fala. The Bends, que foi editado há coisa de 20 anos, na altura já levava mais de oito nas costas.

Continuar a ler

Uma visita à casa na Islândia que MAHOGANY criou

O Duarte é a modos que um amigo da casa. Tem dois artigos publicados por aqui e, se tudo correr bem, a coisa não ficará por aí. Além disso, percebi a determinada altura que ele estava a preparar um álbum. Bem, percebi porque ele me disse e me mostrou uma música. E sabem que mais? O que ele me mostrou era bom.

Continuar a ler

Um início de ano cheio de boas compras

Dos últimos dez anos, 2014 deve ter sido aquele em que menos dinheiro gastei em discos. Gastei noutras coisas, diminuí despesas e encolhi-me com a crise – viva Portugal, certo?

Continuar a ler

« Posts mais antigos