Skip to content

Etiqueta: Streaming

Apple Music: subscrever ou não?

Apple Music

Apple Music foi lançado a 30 de junho em 100 países e, como seria de esperar, Portugal não ficou de fora. A surpresa? O preço do serviço é o mesmo que o do Spotify Premium: €6,99 por mês. No mínimo, demonstra que a Apple fez algum trabalho de casa e teve em conta especificidades de alguns mercados (o Apple Music e o Spotify custam menos três euros em Portugal que no resto da Europa). Mas é preciso não esquecer que não tem uma modalidade gratuita como o Spotify, o que pode fazer toda a diferença para utilizadores que ainda não estejam a bordo do streaming.

Adeus, Grooveshark

Grooveshark

O Grooveshark fechou. Não é uma notícia totalmente inesperada, dada a longa batalha judicial entre o conhecido serviço de streaming de música e as principais editoras discográficas, mas não deixa de ser um momento marcante para a indústria.

Beats Music: é mesmo preciso mais um serviço de streaming?

O que é que Dr. Dre, Trent Reznor e Jimmy Iovine, da Interscope, andam a fazer juntos? Pelos vistos, um serviço de streaming de música chamado Beats Music. Com lançamento agendado para 21 de janeiro, o mais recente concorrente do Spotify e do YouTube estará para já – e como seria de esperar – disponível apenas nos Estados Unidos.

O que trará o Beats Music de novo a este mercado em que tantos parecem ter algo a dizer?

2014: o ano das grandes decisões para o streaming

2014 promete ser um ano decisivo para os principais serviços de streaming, como o Spotify e o Rdio, e mesmo para as variantes mais radiofónicas como o Pandora e o iTunes Radio. Como sabem, mesmo com a dose de défice de atenção que trazem ao consumo de música, sou fã deste tipo de serviços. E a julgar pelo crescimento que o streaming de música tem tido nos últimos anos, não sou o único.

Mas o que torna então 2014 diferente dos anos anteriores? Porque é que este há de ser um ano decisivo?

Napster chega a Portugal

O Napster parece uma barata. É dos bichos mais resilientes da Internet. Já foi considerado a causa de todos os males da indústria discográfica… e já foi um concorrente totalmente legítimo (e sem grande sucesso) do iTunes. De há uns tempos para cá, tem vindo a fazer a ponte para o negócio musical da moda: o streaming.